Fasubra Sindical

Switch to desktop Register Login

Brasília recebe 8º Fórum Mundial da Água

 

 

 

O Fórum Mundial da Água contribui para o diálogo do processo decisório sobre o tema em nível global e visa o uso racional e sustentável desse recurso.

 

Brasília-DF recebe de 18 a 23 de março o maior evento global que discute um dos recursos naturais mais importantes para a sobrevivência terrestre, o 8º Fórum Mundial da Água (FMA). Promovido pelo Conselho Mundial da Água, organização internacional que reúne interessados no assunto e tem como missão, “promover a conscientização, construir compromissos políticos e provocar ações em temas críticos relacionados à água para facilitar a sua conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente, em todas as dimensões, com base na sustentabilidade ambiental, para o benefício de toda a vida na terra".

 

Fundado em 1996, o Conselho Mundial da Água com sede na cidade de Marselha, França, reúne cerca de 400 instituições, em aproximadamente 70 países. A organização internacional conta com representantes de governos, da academia, sociedade civil, de empresas e organizações não governamentais, formando um significativo espectro de instituições relacionadas com o tema água.

 


 

O Fórum Mundial da Água contribui para o diálogo do processo decisório sobre o tema em nível global e visa o uso racional e sustentável desse recurso. Por sua abrangência política, técnica e institucional, o Fórum tem como uma de suas características principais a participação aberta e democrática de um amplo conjunto de atores de diferentes setores, traduzindo-se em um evento de grande relevância na agenda internacional.

 

O Fórum é organizado a cada três anos pelo Conselho Mundial da Água juntamente com o país e a cidade anfitriã. Ao todo, já ocorreram sete edições do evento em sete países de quatro continentes: África, América, Ásia e Europa.

 

Em 2014, o Brasil foi selecionado, esta é a primeira vez que o evento ocorre no Hemisfério Sul.

 

Com informações: FMA

Foto: Divulgação

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical

 

Confira as ações da Frente Parlamentar pela valorização das universidades federais

 

A Frente orienta a participação de parlamentares, entidades e associações do movimento educacional na Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE 2018), que acontece de 24 a 26 de maio em Belo Horizonte - MG.

 

Veja os encaminhamentos da Frente Parlamentar pela valorização das universidades federais após a reunião do dia 07 de março, que discutiu a defesa da autonomia universitária e orçamento das instituições federais de ensino. O evento ocorreu na Câmara dos Deputados com participação da FASUBRA Sindical, parlamentares, entidades e associações do movimento educacional.

 

A Frente Parlamentar pela valorização das universidades federais solicitou uma audiência com o ministro da Educação, José Mendonça Filho e aguarda retorno do ministério. Para fortalecer as instituições federais de ensino, um dos encaminhamentos é a criação de uma campanha junto às Frentes Parlamentares correlacionadas em defesa da Universidade Pública e a incorporação às demais Frentes de universidades estaduais e municipais.

 

Para revogar a Emenda Constitucional nº 95/16, que congela investimentos em políticas sociais por 20 anos, a Frente propôs a articulação de um projeto de iniciativa popular e a incorporação às mobilizações das entidades representativas das comunidades acadêmicas.

 

Intensificar a campanha pela nomeação dos reitores, eleitos democraticamente nas Universidades Federais e fomentar a organização de audiências públicas e plenárias por todo país são algumas ações indicadas.

 

Por fim, a Frente orienta a participação de parlamentares, entidades e associações do movimento educacional na Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE 2018), que acontece de 24 a 26 de maio em Belo Horizonte - MG.

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical

Luto por Marielle Franco!

 

 

Marielle Franco, presente!

 

Na noite desta quarta-feira, 14, Marielle Franco, vereadora (PSOL-RJ), foi brutalmente assassinada no Estácio, centro da cidade do Rio de Janeiro-RJ.

 

No mês da mulher, uma jovem negra e liderança política da esquerda foi executada  a tiros. Os indícios do crime levam a crer que a motivação seja política.

 

Marielle corajosamente denunciava abusos da polícia contra o povo negro dos morros e favelas cariocas. Recentemente assumiu a relatoria da comissão da Câmara Legislativa para acompanhar e fiscalizar os trabalhos de intervenção militar no Rio de Janeiro.

 

Trata-se de um ataque a tod@s que lutam, a todas as mulheres, a todas as negras e negros desse país.

 

A FASUBRA Sindical se solidariza com amigos, familiares e com toda militância do PSOL.

 

Orientamos que todos os sindicatos filiados possam participar dos atos e manifestações convocados em solidariedade a Marielle.

 

 

Direção Nacional FASUBRA Sindical

Entidades divulgam nota contra polêmico auxílio moradia a magistrados

 

 

Auxílios remuneratórios para juízes são ilegais, imorais e vergonhosos!

              

Dada a proximidade do julgamento de mérito no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade do “auxílio-moradia” para a magistratura brasileira, as entidades educacionais abaixo subscritas repudiam esse pagamento extra aos juízes de todas as instâncias, especialmente para aqueles que recebem o benefício mesmo tendo imóveis próprios nas cidades em que trabalham e residem.

 

O valor de R$ 4.377,73 pago aos juízes, supostamente para custear despesas com moradia, representa mais uma das inúmeras benesses que essa carreira do serviço público possui em relação a tantas outras (auxílios livro, terno etc).

 

Em comparação aos trabalhadores em educação das redes públicas de ensino básico, o valor do “auxílio-moradia” dos magistrados é quase o dobro do Piso Salarial Nacional do Magistério (R$ 2.455,00), sendo que muitos gestores públicos sequer cumprem essa determinação legal.

 

A maior parte da população economicamente ativa e dos aposentados brasileiros percebe remuneração média abaixo de dois salários mínimos (R$ 1.908,00), e mais de 90% da população ganha menos que o valor do “auxílio-moradia” dos juízes.

 

Além da polêmica em torno do “auxílio-moradia” e outros, tornou-se corriqueiro na maioria dos estados da federação casos de “fura-teto” constitucional entre magistrados que recebem remuneração acima de R$ 33.763,00. Não raro, existem denúncias de juízes e desembargadores com remunerações acima de 100, 200 e 300 mil reais mensais, sem qualquer paralelo mundial, fato que compromete as receitas do Estado e impede melhorias salariais a outras carreiras do serviço público, inclusive de trabalhadores em educação.

 

Diante da ameaça de greve dos juízes federais, neste dia 15 de março, em protesto à possibilidade de corte do “auxílio-moradia” da categoria, as entidades educacionais convidam Vossas Excelências a refletirem sobre a desigualdade social e de renda em nossa sociedade e no serviço público, e como suas remunerações contribuem para esse problema.

 

O Poder Judiciário é estratégico para a preservação do Estado Democrático de Direto, sobretudo neste momento de forte abalo da democracia brasileira em que setores da magistratura são questionados por darem guarida a medidas que contrariam a vontade do voto popular. E é preciso que as associações de juízes do Brasil se mostrem comprometidas com os princípios democráticos e de igualdade social expressos na Constituição Federal, que não condizem com privilégios para poucos em detrimento de milhares de pessoas.

 

» Pelo fim do “auxílio-moradia” e outros penduricalhos para a magistratura e quaisquer carreiras do serviço público!

 

» Pela regulamentação imediata do art. 39, § 5º da CF-1988, que prevê o estabelecimento de relação entre a maior e a menor remuneração de servidores públicos em todas as esferas administrativas como forma de superar as inconcebíveis desigualdades salariais!

 

» Pelo cumprimento incondicional do teto salarial no serviço público e em defesa de uma sociedade justa e sem privilégios!

 

Salvador - BA, 13 de março de 2018

 

 

 

Entidades que subscrevem a presente Nota:

 

1.    Fórum Nacional Popular de Educação – FNPE

2.    Central Única dos Trabalhadores - CUT

3.    Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE

4.    Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – CONTEE

5.    Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico - PROIFES

6.    Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil - FASUBRA

7.    Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino - SINDIFES

8.    Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares - CONTAG

9.    Federação Interestadual dos Trabalhadores em Educação - FITE

10. Confederação dos/as Trabalhadores/as no Serviço Público Municipal - CONFETAM

11. Campanha Nacional pelo Direito à Educação

12. Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação - ANPED

13. Rede Latino-Americana de Estudos sobre Trabalho Docente - Red Estrado

14. Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - FINEDUCA

15. União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – UBES

16. Levante Popular da Juventude

17. Associação dos Servidores do INEP - ASSINEP

18. Central Única dos Trabalhadores do Ceará - CUT/CE

19. Central Única dos Trabalhadores de Santa Catarina - CUT/SC

20. Movimento Educação Democrática no Paraná

21. Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio

22. Instituto Observatório Social

23. Observatório do Ensino Médio

24. Associação Cultural Refavela/SP

25. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre - SINTEAC/AC

26. Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas - SINTEAL/AL

27. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas - SINTEAM/AM

28. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia - APLB/BA

29. Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Lauro de Freitas – ASPROLF/BA

30. Sindicato dos Servidores em Educação no Município de Campo Formoso - SISE/BA

31. Sindicato dos Professores da Rede Pública Municipal de Camaçari - SISPEC/BA

32. Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista – SIMMP/VC/BA

33. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Correntina – SINDTEC/BA

34. Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará - SINDIUTE/CE

35. Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais Ceará - APEOC/CE

36. Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar no Distrito Federal - SAE/DF

37. Sindicato dos Professores no Distrito Federal - SINPRO/DF

38. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo - SINDIUPES/ES

39. Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás - SINTEGO/GO

40. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão - SINPROESEMMA/MA

41. Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Timon/MA - SINTERPUM/MA

42. Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais - Sind-UTE/MG

43. Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul - FETEMS/MS

44. Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso - SINTEP/MT

45. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará - SINTEPP/PA

46. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba - SINTEP/PB

47. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de João Pessoa - SINTEM/PB

48. Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco - SINTEPE/PE

49. Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede Oficial de Recife - SIMPERE/PE

50. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município do Jaboatão dos Guararapes - SINPROJA/PE

51. Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Olinda - SINPMOL/PE

52. Sindicato dos Professores do Cabo de Santo Agostinho - SINPC/PE

53. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí - SINTE/PI

54. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná - APP/PR

55. Sindicato Dos Trabalhadores em Educação Pública de Colombo - APMC/PR

56. Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba - SISMMAC/PR

57. Sindicato Dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária - SISMMAR/PR

58. Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Paranaguá – SISMMAP/PR

59. Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública do Rio Grande do Norte - SINTE/RN

60. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Rondônia - SINTERO/RO

61. Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Roraima - SINTER/RR

62. Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul - Sindicato dos Trabalhadores em Educação - CPERS/RS

63. Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande - SINTERG/RS

64. Sindicato dos Professores da Rede Pública Municipal de Ijuí - APMI/RS

65. Sindicato dos Professores Municipais de Canoas - SINPROCAN/RS

66. Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública de Ensino do 67. Estado de Santa Catarina - SINTE/SC

67. Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial de Sergipe - SINTESE/SE

68. Sindicato dos Profissionais de Ensino do Município de Aracaju - SINDIPEMA/SE

69. Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação - AFUSE/SP

70. Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - APEOESP/SP

71. Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo - SINPEEM/SP

Prazos regimentais do XXIII CONFASUBRA para eleição de delegados

 

 

As informações sobre o número de trabalhadores devem ser enviadas até o dia 20 de março.

 

Confira os prazos regimentais para a convocação de assembleias e eleição de delegados para o XXIII Congresso Nacional da FASUBRA Sindical.  As informações sobre o número de trabalhadores ativos, aposentados, pensionistas, trabalhadores e empregados de instituições públicas de ensino superior devem ser enviadas até o dia 20 de março, para o e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

O XXIII CONFASUBRA será realizado de 06 a 11 de maio, em Poços de Caldas – MG. Instância máxima de deliberação, o congresso é soberano para deliberar sobre qualquer proposta, desde que esteja incluída no temário do evento. Também é permitida a participação de convidados e observadores, porém, sem direito a voto.

 

Serviço

Congresso da FASUBRA (XXIII CONFASUBRA)

Data: 06, 07, 08, 09, 10 e 11 de maio de 2018

Local: Centro Nacional de Convenções – Cenacon

Av. Vereador Edmundo Cardillo, 3500 - Jd. Del Rey - Jardim Bandeirantes.

Poços de Caldas - MG

 

Assessoria de Comunicação FASUBRA Sindical