Fasubra Sindical

Switch to desktop Register Login

FASUBRA na reunião do Fórum dos Servidores Públicos Federais

 

Medidas do governo preocupam trabalhadores

Por Luciana Castro

As entidades do Fórum dos Servidores Públicos Federais (SPF’s) se reuniram na tarde de segunda-feira, 22, na Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (FENASPS). Participaram representantes de 13 entidades. No âmbito de representação nacional esteve presente a Central Sindical CSP-Conlutas.

Na análise de conjuntura o destaque principal apresentado pela maioria das entidades foi a mobilização conjunta dos trabalhadores por meio das Centrais Sindicais e sindicatos. Fortalecer o movimento grevista e estreitar laços contra o Ajuste Fiscal que assola a classe de menor poder aquisitivo como os desempregados, viúvas e pescadores (Medidas Provisórias 664 e 665/04 que alteram as regras do Seguro-Desemprego, Abono Salarial, Seguro-Defeso, Pensão por Morte, Auxílio-Doença e Auxílio-Reclusão).  Perseverar na luta contra o Projeto de Lei 30/2015 que expande e regulamenta a mão de obra (PLC da Terceirização) por reduzir direitos trabalhistas e salários, aumentar o risco de acidentes e causar a precarização das organizações de trabalho segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Foram encaminhados a realização da Reunião Ampliada do Fórum dos SPF’s no dia 28 de junho no Hotel Brasília Imperial, das 9h às 18h com intervalo para almoço.

Pauta:

  • Informes;
  • Campanha Salarial 2015;
  • Rateio das atividades realizadas;
  • Ações de mobilização nacional;
  • Encaminhamentos;

Nos informes a FASUBRA-Sindical apresentou o balanço atual da greve que conta com a adesão de 65 instituições (universidades e Institutos Federais). Segundo a representação da FASUBRA, é a maior greve em termos de expansão da base devido à rápida adesão em um curto espaço de tempo.

O representante do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), destacou o avanço crescente da greve dos docentes. A paralisação iniciou com 18 seções sindicais e atualmente apresenta 35 instituições em greve. Informaram que amanhã, 23, acontece a Audiência do ANDES-SN com o Ministério da Educação (MEC) às 14h. As entidades foram convidadas a participar do Ato que será realizado em frente ao MEC durante a audiência.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (SINAIT) aprovou assembleia permanente de estado de greve e mobilização, com manifestação no dia 25 de junho, segundo seus representantes.

Já o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central, realizaram duas paralisações parciais e aprovaram greve de 1 dia (25/06).

A discussão do indicativo de greve do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE) está marcada para o dia 13 de julho. A Plenária acontece antes, nos dias 4 e 5 de julho. Em Campinas, os servidores já estão em greve.